COVID-19. NOVAS MEDIDAS RESTRITIVAS, TRÁS PREOCUPAÇÃO AOS HOSPITAIS

COVID-19. NOVAS MEDIDAS RESTRITIVAS, TRÁS PREOCUPAÇÃO AOS HOSPITAIS

O novo decreto se soma ao anterior, e começou a valer na segunda-feira (25/01). Agora, só é permitido sair de casa em caso de extrema necessidade. Os supermercados ficarão abertos das 6 horas da manhã até 19 horas e somente uma pessoa da família pode ir às compras.
As farmácias vão ficar abertas 24 horas e será permitido o funcionamento de serviços de saúde, o que inclui as clínicas veterinárias.

De outro lado, o comércio de venda de materiais eléctricos e EPI´s, (equipamentos de Proteção Individual) que são usados diariamente nos hospitais, começa a preocupar. "Imagina a falta desses produtos em uma unidade hospitalar?" Questiona um funcionário de um hospital que com medo de represaria, pediu para não se identificar. Mas, ele afirma que essa preocupação já é uma realidade. Alguns já ligaram para vários comércios na tentativa de uma compra. No entanto, os comerciantes afiram que não podem vender. Pois, estariam contrariando o decreto do Governo.

Deixamos uma reflexão ao governo do estado e demais autoridades: Muitas vidas estão sendo salvas por parentes, amigos e sociedade em geral, que estão comprando manterias de saúde e doando-os aos hospitais e SPA´s da nossa Capital e interior. E, se essas pessoas, assim como direção de hospitais não poderem mais adquirir esses produtos?

Aguardamos uma resposta!!!

fale com a redação:

E-mail: barenewsam@gmail.com